Blog do André

Eu tenho algumas opiniões, pensamentos e personalidade bastante diferente da maioria das pessoas. Isso porque eu definitivamente não quero ser o que a maioria das pessoas são. Mas existem algumas que eu me identifico muito e elas me fazem ser o que eu sou. Essas pessoas me influenciam.

Vou falar aqui de um texto feito por um desses meus "Mestres". Ele é George Carlin.

George Denis Patrick Carlin (Nova Iorque, 12 de maio de 1937 — 22 de junho de 2008) foi um comediante, ator e autor norte-americano, pioneiro, com Lenny Bruce, no humor de crítica social. A sua mais polémica rotina chamava-se "Sete Palavras que não se podem dizer em Televisão", o que lhe causou, durante os anos setenta, vários dissabores, acabando preso em inúmeras vezes que levou o texto a palco.

Até meados da década de 1960, Carlin manteve uma imagem tradicional, com fato e cabelo curto. Depois, ao escrever novo ato, decidiu deixar crescer o cabelo e a barba, tornando-se um ícone da contracultura. Crítico acérrimo das religiões, ateu convicto, principalmente do sentido da culpa e do controle social, defendia valores seculares.

Aplaudido por vários colegas, como Lewis Black e Bill Maher, George Carlin chegou ainda a participar em vários filmes e séries de TV. Dublou ainda filmes de animação, como Carros e outros.

Morreu em um hospital de Los Angeles de paragem cardíaca, depois de, nos últimos 20 anos, ter passado já por um enfarte e duas cirurgias no coração. Sobrevive-lhe a sua segunda mulher e sua filha.

***

Um dos vídeos favoritos que eu já vi é dele, quando ele fala sobre "Os 10 Mandamentos".

Abaixo está o texto dele e o link para o vídeo em um dos seus engraçados shows.

***

George Carlin - Os 10 Mandamentos

Queria dizer algo. Algo que está me incomodando e, pra acabar de vez com isso. Os 10 mandamentos. Sim. Escuta só. Este é meu problema: Porque eles são 10? Não há necessidade de 10. Eu acho que a lista foi artificialmente "inflada" para se chegar a 10. É uma lista alongada.

Foi assim: Há cerca de 5 mil anos um grupo de canalhas político-religiosos uniram-se pra tramar uma maneira de controlar as pessoas e pô-las na linha. Eles sabiam que o povo era basicamente estúpido e acreditariam em qualquer coisa que lhes fosse dito. Então anunciaram que Deus os tinha dado alguns mandamentos...

...no alto da montanha. Quando não havia ninguém por perto Deus os havia dado os 10 mandamentos.

Mas deixa eu perguntar: quando estavam tramando essa merda, porque escolheram 10? Porque não 9 ou 11? Eu vou dizer-lhes: Porque 10 soa mais "oficial". 10 parece importante. Eles sabiam que se fossem 11, o povo não levaria a sério: - "11 mandamentos? Que?! Vá se danar!"

Mas 10 é importante. 10 é a base do sistema decimal. É uma década. É um número que satisfaz psicologicamente.

"Os 10 Melhores", "Os 10 Mais Procurados", "As 10 Mais Bem Vestidas".

Então ter 10 mandamentos foi, na verdade, uma decisão de "marketing". Pra mim é claramente só conversa fiada. É um documento político aumentado artificialmente pra aumentar as vendas.

Vou lhes mostrar como reduzir o número de mandamentos e obter uma lista um pouco mais prática e lógica.

Iniciaremos com os 3 primeiros usando a versão católica que foi a que me ensinaram.

"Eu sou o Senhor teu Deus. Não terás outro Deus senão a mim".

"Não tomarás Meu santo nome em vão".

"Manterás sagrado o dia de Sábado".

Esses três primeiros são pura abobrinha.

Dia de Sábado? Santo Nome? Outro Deus?

Linguagem "medonha". Linguagem "medonha". Inventada para assustar e controlar gente primitiva. De modo algum tais absurdos supersticiosos podem se aplicar à vida de seres inteligentes do século XXI.

Corta-se os 3 primeiros. Agora restam 7.

Próximo: "Honrarás teu Pai e tua Mãe".

Obediência. Respeito pela autoridade. Mais um nome para controle. Mas na verdade, obediência não deve ser automática. Deve ser adquirida. Baseada no comportamento dos pais. OK?

Alguns pais merecem. A maioria não. Ponto final. Agora tem 6.

Agora, por interesse da lógica (algo que incomoda bastante a religião), vamos dar um salto na lista.

"Não roubarás", "Não darás falso testemunho."

Roubar e mentir. Bem, essas duas coisas proibem um mesmo tipo de comportamento: desonestidade. Roubar e mentir. Então você não precisa das duas. Pode combina-las, e diremos: "Não serás desonesto."

E de repente, restam 5!

E já que estamos combinando, tenho outros dois que também se associam:

"Não cometerás adultério", "Não cobiçarás a mulher do próximo".

De novo. Eles proíbem o mesmo tipo de coisa. Nesse caso, a infidelidade conjugal. A diferença é que a cobiça está na mente. E não acho que seja contra a lei fantasiar com a mulher do outro. Afinal em quem o cara vai pensar quando estiver "encerando sua cenoura"?

Mas...

Mas fidelidade conjugal é uma boa idéia. Então a manteremos e diremos: "Não serás infiel".

E, de repente, ficamos com 4!

Mas, pensando bem, honestidade e fidelidade são abrangidas pelo mesmo valor. Assim, podemos combinar os 2 mandamentos de honestidade com os 2 de fidelidade e dar-lhes uma linguagem mais simplificada. Linguagem positiva em vez de negativa.

E então diremos: "Serás sempre honeste e fiel". Agora restam 3.

Eles estão se evaporando. Estão se evaporando rápido.

"Não cobiçarás as coisas alheias".

Esse é puramente estúpido! Cobiçar coisas alheias é o que faz girar a economia. Certo? Seu vizinho tem um vibrador que faz o "Venha a nós o devoto" e você quer um também. A cobiça cria empregos então deixemo-la de lado.

Deixamos a cobiça, agora temos 2:

O grande mandamento da honestidade-fidelidade e aquela do qual ainda não falamos: "Não matarás". Assassinato. O quinto mandamento.

Mas se você pensar bem... Se você pensar bem a religião nunca teve um grande problema com matança.(?) Não mesmo. Mais pessoas já foram mortas em nome de Deus do que por qualquer outra razão.

É só dar uma olhada na Irlanda do Norte, Cashemira. A Inquisição. As Cruzadas. E o World Trade Center. E percebemos o quanto os religiosos levam a sério essa de "não matarás". Quanto mais fé eles têm, mais eles veêm matar como algo negociável. É negociável, sabe?

Depende. Depende de quem está matando e quem está morrendo.

Assim, considerando tudo isso, eu vos deixo com a minha lista revisada dos dois mandamentos:

"Serás sempre honesto e fiel ao seu provedor de sexo" e "Tentarás arduamente não matar ninguém a não ser, é claro, que eles orem por um "homem-invisível" diferente do seu.

Você só precisa de 2. Moisés poderia ter descido com os dois na merda do bolso. E se tivesse uma lista assim eu não me importaria que o pessoal do Alabama a fixassem em uma parede no tribunal.

Desde que acrescentassem mais um:

"Guardarás tua religião para ti mesmo".

Obrigado!


O vídeo você pode assistir no link abaixo, pelo Youtube:

http://www.youtube.com/watch?v=pkRYaMiP4K8

Categories:

One Response so far.

  1. Renan says:

    hehe..legal

Se você leu o texto e gostou, deixe um comentário!!!