Blog do André

Eu não vou me cansar de falar das escolas, do sistema educacional do Brasil. Ninguém mandou o Silvio Santos me dar o Computador do Milhão e a Telefônica me dar essa maravilha de Internet Discada Ilimitada. Então eu vou continuar a defecar pelos dedos, se não gostou simplesmente aperte Alt+F4 e be happy!

Em um outro artigo eu contei um pouco (?) sobre o atual sistema de ensino falido e ultrapassado e ainda mostrei algumas soluções. Agora eu quero mostrar mais do que simples soluções, quero propor um modelo de Escola dos Sonhos.

Esta é a minha visão de Escola perfeita. Se ela fosse assim a educação dos alunos seria desenvolvida com excelência, sua criatividade e seu talento não seriam assassinados e o objetivo de conquistar um brilhante futuro se aproximaria exponencialmente.

Este modelo se aplica principalmente ao primeiro e segundo grau, fase mais importante do desenvolvimento educacional das crianças.

Primeiro queria dizer que eu não sou a favor de aumento da carga horária diária nem semanal, nada de aulas em período integral, nem de fim de semana, parem com isso. Uma das poucas coisas que não precisa mudar é isso.

Então vamos lá...

A estrutura física:

Todas as escolas têm basicamente salas de aula, quadras poliesportivas, biblioteca, cozinha, secretaria, diretoria, banheiros, pátio e sala dos professores. Olha, nem todas, mas olhando positivamente a média é por aí. Acontece que "só" isso não basta.

Para um desenvolvimento perfeito da educação dos alunos a escola deveria ter o mínimo de salas de aulas convencionais (falarei mais adiante). Além das quadras poliesportivas, precisa ter materiais poliesportivos né. Parece engraçado mas a pintura das quadras tem até a marcação de tênis, mas não vejo nenhuma raquete e bolinha nos armários das escolas. E quadras de areia, campos de grama, pistas de atletismo? Não precisa ser algo profissional, mas algo que possa simular o esporte pelo menos. Outra parte da estrutura seria um jardim. Nada melhor que praticar corrida num jardim.

No outro lado da escola seria construído um teatro. Algo pequeno, um palco e um espaço para plateia. Ao lado teria um pequeno salão de dança, onde os alunos iriam ensaiar seus passos preferidos e se aprensentarem no teatro ao lado. E é claro que também teria uma sala para os instrumentos musicais, além de microfones para cantos e ensaio do coral. No outro lado do teatro teria uma sala de pintura e desenho. Mesas sob medida, telas e uma pequena sala de exposição.

Num outro lado da escola teria uma grande sala de experiencias matemáticas e físicas. Bom, todos sabemos que matemática e física não é muito aceito pelas crianças não é mesmo? Mas como eu sempre digo, devemos simplificar! E a melhor maneira de ensinar coisas complicadas é com jogos e brincadeiras. Então nesta grande sala teria varios "brinquedos" que simulassem as aulas dada na teoria, além de divertir os alunos iriam aprender! (diversão em primeiro lugar é aprendizagem como consequencia).

Um estreito e longo corredor levaríamos até uma outra sala. Enquanto atravessamos o corredor vamos olhando para alguns quadros e textos inseridos na parede contando um pouco sobre a história do Brasil e do Mundo. No final do corredor entramos na sala onde o tema é Geografia. Um telão para apresentação da aula já basta na sala, nada de lousa. Aprendizado apenas visual, nada de "decoreba".

Uma sala ao lado da sala de Geografia nos leva a sala do Gremio Estudantil onde há urnas de votação e uma varanda que dá pro jardim, com um púlpito, onde os alunos fariam suas "promessas" para a ocupação dos cargos nos grêmios. Ensinar política desde cedo é a melhor maneira de ter um país democrático e civilizado no futuro.

No outro lado da escola teríamos a sala da tecnologia, com diversos aparelhos e ferramentas que ensine aos alunos a nova era digital que já estamos vivendo. Além disso teríamos uma enorme sala de informática com computadores para pelo menos 25% de capacidade do quadro do corpo discente.

Basicamente a estrutura física duma escola dos sonhos seria assim. Não sei se você percebeu mas não citei os banheiros, cozinha, diretoria, secretaria, sala dos professores. O motivo é que isso não é nem secundário... é quase sem importancia nenhuma na minha opinião. O objetivo primário e de longe o mais importante numa escola é o desenvolvimento dos alunos. E esses "detalhes" não são tão importantes para isso, então poderíamos continuar com os mesmos banheiros, as mesmas cozinhas, mesmas diretorias...

Mas eu queria falar um pouco mais das salas de aula que seriam construídas.

Sala de Aula:

Algumas disciplinas que seriam ensinadas nessa minha escola dos sonhos não precisam dum lugar "exclusivo". Isso porque elas não são aulas práticas, apenas teóricas. Para isso seriam construídas algumas salas de aula padronizadas, ou seja, que atenderia da mesma forma todas essas outras discplinas ainda não citadas.

As salas de aulas não seriam como as que existem hoje nas escolas.
Lousas, carteiras, cortinas, seriam tudo jogado fora!

As salas seriam em formato circular, eu digo o posicionamento das cadeiras (sim apenas cadeiras, nada de carteiras). Teria apenas um telão no lugar da lousa, com data-show para apresentação das aulas teóricas.

Professores:

Nessa escola não teria professor.

Desenvolvedores de talentos:

Para o lugar dos professores, seriam contratados os "desenvolvedores de talentos".

Distribuição das disciplinas:

Acho que o mais importante deste artigo vem agora: a distribuição das aulas.

Chega de 5 ou 6 aulas de matemática durante a semana. Onde está as aulas que realmente desenvolve uma profissão?

Para isso teríamos as seguintes discplinas:

- Português
- Matemática
- História
- Geografia
- Educação Física
- Ciências
- Inglês
- Espanhol
- Redação
- Tecnologia
- Informatica
- Economia
- Política
- Dinheiro
- Dança
- Teatro
- Pintura
- Canto

Nada mais nada menos do que 18 disciplinas diferentes! Mas calma, seu boletim não terá mais de 3 páginas...

Sistema de avaliação:

Como eu sempre digo, a inteligência é interativa. Ou seja, aprendemos mais e melhor quando "unimos" disciplinas diferentes... Essa associação faz com que nós dividimos as 18 disciplinas em 4 grupos de avaliação.

- Línguas (Português, Inglês, Espanhol e Redação)
- Exatas (Matemática, Ciências, Tecnologia e Informática)
- Corporal (Ed. Física, Dança, Teatro, Pintura e Canto)
- Humanas (História, Geografia, Economia, Política e Dinheiro)

Pronto, simplifiquei! 4 notas. Simples assim. Você poderá carregar seu boletim no bolso.

Divisão das disciplinas:

As aulas seriam divididas assim:




SEGUNDA
TERÇA
QUARTA
QUINTA
SEXTA

Português
Redação
História
Tecnologia
Economia

Canto
Dança
Geografia
Informática
Ciências

Matemática
Ed. Física
Política
Economia
Espanhol

Matemática
Teatro
Ed. Física
Dinheiro
Inglês

Pintura
Teatro
Ed. Física
Dinheiro
Dinheiro


Este quadro acima seria um modelo da distribuição das matérias. Agora eu vou detalhar um pouco o que seria cada matéria...

Português - Continuaria sendo o bom e velho português, porém com apenas uma aula semanal. Mais enxugado, mas simplificado. Até hoje eu não sei por que raios eu aprendi literatura. Não me serviu pra nada saber quais livros Machado de Assis, Alvarenga Peixoto, Gonçalves Dias, Casimiro de Abreu, José de Alencar, escreveram... Não serviu pra absolutamente nada. Ensine apenas gramatica, o básico e já está bom.

Matemática - Assim como o português, devemos ensinar o mais básico de tudo. As quatro operações, regra de três e noções básicas de contabilidade já está ótimo. Pago 1 milhão pra quem me disser o que eu vou fazer com o seno, cosseno e tangente, ou pra que raios usarei a raiz quadrada.

História - Devemos ensinar também o básico da história. Uma aula por semana já é necessário pra fazer entender o porque o país chegou aonde chegou, o porque o mundo é o que é, o porque somos país de terceiro mundo ainda, entre outras coisas.

Geografia - Aulas de Geografia são mais "fáceis" para aprender. Não digo por mim, mas o estudo da superfície da Terra é, na maioria dos humanos, auto-didático. Acho importante estudar Geografia, ainda mais numa época em que se fala muito em sustentabilidade e ambientalismo. Apesar disso creio que uma aula por semana já é o suficiente.

Ciências - Você já parou pra pensar em quantas das profissões atuais futuras está ligada diretamente às questões científicas? Primeiro precisamos saber a diferença de ciência e tecnologia. Agora olhe pra fora da janela. Olhe pro mundo. Veja quais as profissões que estão em alta. Quais têm maiores perspectivas de crescimento. A tecnologia dá um baile na ciência. Aprender só ciência não é suficiente! Para isso diminuiríamos as aulas de ciência para aplicar aula de tecnologia. (Tecnologia é a "trasnformação" da ciência em algo que possa ser "vendido" ao mercado. A ciência não é comercializada mas a tecnologia sim).

Inglês - Sou completamente a favor da globalização. Sou contra o "bairrismo" de achar que só porque é nacional temos que valorizar. Se lá fora fazem melhor, então valorizemos o que é feito lá fora ué. Chega de xenofobia. Vou dizer mais. Porque sempre dizem que brasileiro é criativo, mas os japoneses por exemplo que não são criativos são disciplinados ou que americanos são arrogantes?
Eu discordo! Não acho brasileiro nem um pouco criativo. É só ligar a TV. Filmes cada vez mais parecido com os americanos. Programas de TV completamente copiados dos Europeus e Americanos (reality-shows principalmente). Todos produtos que compramos têm tecnologia japonesa e eles que não são criativos, apenas disciplinados? Qual é o modelo de vida que os brasileiros queriam ter? E o modelo de cidade e urbanismo? Todos querem copiar os americanos e depois os arrogantes são eles?! Arrogancia é a nossa. Vamos parar com isso. Brasileiro não é criativo coisa nenhuma. Só é criativo para roubar, enganar, dar uma de malandro. E olha que eu ainda não falei de quando você liga o rádio, só músicas americanas. Isso porque as músicas brasileiras estão cada vez piores! E o carnaval? Nossa maior festa! Cadê a criatividade? Olha, desde que eu nasci, o carnaval é sempre a mesma coisa, não muda nada, absolutamente nada.
O que eu quero dizer é que devemos gostar do que vem de fora. Falo isso porque quando você fala em estudar inglês muitos falsos patriotas já vem dizer que isso deveria ser proibido. Acho que o direito dessas pessoas de falar deveria ser proibido. Então continuaremos a ensinar inglês nas escolas, uma aulinha por semana já é o suficiente, pois como eu já disse: A Inteligência é Interativa! O Inglês pode ser incorporado nas outras disciplinas e assim o seu aprendizado será constante.

Espanhol - Outro idioma importantíssimo. Mas aqui trago outra visão. Enquanto o inglês é um idioma universal, o espanhol está presente apenas na nossa região, nas três Americas. Então devemos saber pelo menos o básico se quisermos ter sucesso no nosso trabalho. Muitos pensam pequeno, mas se você tiver um negócio você vai querer vende-lo apenas aqui no Brasil? Ou fora do Brasil também? Saber se comunicar com outros clientes é essencial então devemos ensinar isso desde cedo para as crianças.

Redação - As vezes nos preocupamos em ensinar conceitos bem específicos para os alunos e nos esquecemos de ensinar a escrever e se comunicar com eficiência. As aulas de redação nos condiciona a defender um ponto de vista, contextualizar situações em que somos obrigados a tomar decisões com planejamento e estratégia, aprender o nosso idioma, até porque antes de aprender inglês ou espanhol devemos aprender o português. Para escrever bem é preciso ler bem. Muitos alunos não lêem bem. Eu não falo de travar na hora de ler ou gaguejar. Estou referindo à qualidade do que é lido. Se você está acostumado a ler textos mais cultos então irá escrever textos mais cultos e assim por diante. Outro lado bom da aula de redação é que o aluno será treinado a defender seu ponto de vista, persuadir, argumentar. Aprenderá narrar fatos e assim elaborar relatórios mais precisos nos seus futuros trabalhos.

Tecnologia - Já disse aqui que há uma diferença entre tecnologia e ciência. Partindo deste ponto, não tem como falar mais em inserir conteúdos sobre tecnologia nas salas de aula. Isso já deveria estar acontecendo... há muito tempo. Quando eu estava na escola ouvia muito os professores falar sobre os futuros postos de trabalho. Quando eles me desmotivavam a não ser aquilo que eu queria ser, como professor por exemplo (e olha que eles mesmos são professores, vai entender...) diziam que o desemprego aumentava muito em alguns setores por culpa da tecnologia. Ou seja, a tecnologia era ensinada como uma vilã do mercado de trabalho. Em contra-partida dessa história maluca criada pelos professores começavam a aparecer milhares de jovens "bem informados" e "digitalmente" incluído. Esses jovens ficaram ricos hoje com profissões que eram consideradas desacreditadas.
A questão não é ser professor ou engenheiro de computação. É ser o melhor naquilo que faz, bem informado, atualizado tecnologicamente. Hoje estar ligado a questões da tecnologia já não é um "plus" no curriculo. É um requisito mínimo para, talvez, ganhar uma entrevista. E a escola não ensina isso e continua no sistema arcáico da época de Cabral. Todos devem ter a noção de como transformar uma ciência nova em tecnologia para que possa lucrar com isso.

Informatica - De mão dada com a Tecnologia, as aulas de Informática também são indispensáveis a cada dia nas escolas. Hoje completamente tudo está informatizado. O mundo gira cada vez mais rápido. A margem de erro está cada vez mais invisível. Não temos mais tempo nem margem de erro para preencher planilhas ou relatórios manualmente com caneta esferográfica. Hoje temos que fazer tudo no computador. As aulas de informática básica já tem que ser ensinada na pré-escola. E dar mais ênfase na digitação também. Já que a escola se preocupa com o futuro dos alunos, ensine mais informática nas aulas com computadores mais modernos, pois o "mercado lá fora" é tudo automático e "informático".

Economia - O que me deixa mais nervoso em tudo isso que estou dizendo agora é o fato de olhar pras crianças e ver que elas não têm interesse nenhum por assuntos como Economia e Política. Falta incentivo! Economia é uma matéria de humanas, não é uma bixo de sete cabeça, simplifique! Oras, a Economia está presente na nossa vida o tempo todo. Porque nossa região é desenvolvida? Porque é difícil arrumar emprego? Porque minha profissão que sonho ter não está valorizada? Várias perguntas que estão na cabeça das crianças podem ser respondidas com a disciplina de Economia.
Ela é mais do que fundamental. É algo do nosso dia-a-dia. É a primeira da lista "Isso é importante pra mim?". Raízes quadradas, fórmula de Bháskara, ácidos ribonucleicos, romantismo, tudo isso sempre nos leva a questão: Pra que eu vou usar isso na vida? Já a Economia é 100% útil.

Política - Não confunda política com politicagem. Política, no sentido mais puro da palavra, significa tomar decisões em favor de uma sociedade em geral. No caso das escolas as crianças precisam aprender desde cedo a tomar decisões que favoreçam a sua comunidade em geral. Os alunos são metralhados por insinuações egoístas todos os dias. Você nunca ouviu na escola coisas sobre: "Isso é uma regra imposta, você deve obedecer". Ou "Hoje vamos aprender isso porque eu quero e eu sou o professor". Eu ouvia direto! Sempre fui um aluno "respondão". Aquele que questionava tudo mesmo. Oras, na vida "lá fora" como eles sempre dizem, se correr o bicho pega e se ficar o bicho come. Então você não pode simplesmente abaixar a cabeça e deixar que as pessoas influencie sua vida. Questione, argumente, brigue pelo interesse geral. Eu raramente ouvia um professor discutir o tema que a sala estava interessada em aprender. Era tudo imposto, sempre por uma pessoa. Aprendi na escola que você deve defender seus interesses e esquecer do próximo. Felizmente cheguei a idade da razão e me dei conta que tudo isso era besteira. Isso com uns 10 anos. Vamos ensinar as crianças a brigar pelos direitos de todos, do povo em geral. Não sou comunista nem socialista. Amo o capitalismo, mas defendo que todos têm o direito à brigar pela igualdade e a dar sua opinião, ser ouvido.

Dança - Queria deixar a "Dança" para o final, mas prefiro contar já. Para explicar o porque a dança deveria ser inserida como uma matéria obrigatória na escola, vou contar uma histórinha. Essa história foi contada pelo Professor Ken Robinson durante a TED Conference. (mais informações: www.ted.com)

Uma das características da inteligência é ser distinta. No momento, estou trabalhando em um livro chamado "Epifania", que é baseado numa série de entrevistas com pessoas sobre como descobriram seus talentos. Estou fascinado por como essas pessoas chegaram onde estão. E o gatilho de tudo foi uma conversa que tive com uma mulher maravilhosa de quem talvez a maioria nunca tenha ouvido falar. Ela se chama Gillian Lynne, já ouviram falar dela? Alguns ouviram. Ela é coreógrafa e todos conhecem seu trabalho. Ela trabalhou em "Cats" e "O Fantasma da Ópera", é maravilhosa.
Eu fazia parte do conselho do Royal Ballet, na Inglaterra. E Gillian e eu almoçamos juntos um dia. Aí perguntei: "Gillian, como você se tornou dançarina?" E ela respondeu que foi interessante, pois quando ela estava na escola não aprendia nada.
Aí a escola, nos anos 30, escreveu aos pais dela dizendo: "Achamos que Gillian tem dificuldade para aprender". Ela não conseguia se concentrar, ficava viajando. Ela foi ver um especialista, num escritório todo revestido de carvalho. Lá estava ela com sua mãe, e a puseram sentada numa cadeira no canto, onde ela ficou sentada, imóvel, por 20 minutos, enquanto esse médico conversava com sua mãe sobre todos os problemas que Gillian estava tendo na escola. E ao final de tudo, por ela estar incomodando os outros, seu dever de casa estava sempre atrasado, garotinha de 8 anos, e coisa e tal... Por fim, o médico sentou-se perto de Gillian e disse: "Gillian, eu ouvi todas essas coisas que sua mãe me contou, e agora preciso falar com ela em particular". E prosseguiu: "Espere aqui, já vamos voltar, não vamos demorar". Em seguida, a deixaram sozinha. Mas, enquanto saíam da sala, ele ligou o rádio que estava sobre sua mesa.
Uma vez fora da sala, ele disse à mãe dela: "Fique aí e observe-a". E mal eles haviam deixado a sala, contou-me, ela já estava de pé, movendo-se com a música. Eles a observaram por alguns minutos e ele voltou-se para a mãe dela, dizendo: "Sra. Lynne, Gillian não é doente; ela é dançarina". "Coloque-a numa escola de dança". Perguntei: "E o que aconteceu?" Ela respondeu: "Ela colocou". "Nem sei te dizer o quanto foi maravilhoso". "Andamos por essa sala cheia de gente igual a mim, gente que não parava quieta". "Gente que tinha de se mexer para pensar... tinha de se mexer para pensar".
Uns faziam balé, outros sapateado, outros jazz, uns dança moderna, outros dança contemporânea. Eventualmente, ela fez um teste para a Royal Ballet School, tornou-se uma solista e teve uma carreira maravilhosa na Royal Ballet. Ela se formou na Royal Ballet School, fundou sua própria companhia, a Gillian Lynne Dance Company, e conheceu Andrew Lloyd Weber. Ela foi responsável por algumas das mais bem-sucedidas produções teatrias musicais da história. Ela levou alegria a milhões de pessoas, e tornou-se multimilionária. Uma outra pessoa podia ter lhe receitado remédios e mandado ela se acalmar.
Agora, o que eu acho é o seguinte: Eu acredito que nossa única esperança para o futuro é adotar uma nova concepção de ecologia humana, no qual comecemos a reconstituir nossa concepção das riquezas da capacidade humana. Nosso sistema educacional tem pilhado nossas mentes da mesma forma que pilhamos a terra, em busca de certas matérias-primas, e no futuro isso de nada servirá. Temos que repensar os princípios fundamentais nos quais baseamos a educação de nossas crianças.



Teatro - Da mesma forma que foi falado brilhantemente acima, eu sempre achei que teatro é uma ferramenta especial de desenvolvimento pessoal. Se estamos preparando as crianças pro mundo real, então devemos desenvolve-las de modo que elas, por si só, enfrentem o mercado agressivo e vença todos os seus problemas. Gosto da frase do Benjamin Franklin que dizia: "O investimento na educação é o que paga os melhores juros". Invista em você mesmo! Você é o seu melhor ativo. O Teatro traz uma cesta cheia de benefícios: ensina falar bem em público, estimula o auto-conhecimento, desenvolve o processo co-criativo, desenvolve mecanismos de defesa, trabalha a timidez, desenvolve o convívio em grupo. O teatro cria condições para desenvolver o potencial emocional e afetivo das pessoas de maneira saudável, alegre e criativa. São tantas coisas que hoje em dia eu chego a dizer que uma escola de teatro é melhor que uma escola normal.

Pintura - Aulas de pintura proporcionam situações de contato e conhecimento do próprio corpo: sujar-se com a tinta, sentir sua temperatura, sua textura, pintar as mãos, tudo contribui para o desenvolvimento saudável da criança. A pintura tira o artista que você guarda dentro de você. As empresas hoje em dia estão cada vez mais iguais, os produtos cada vez mais parecidos e com o preço não é diferente. Nessa onda aparece a grande concorrência. E com a globalização, os concorrentes chegam do mais longe país possível e briga de igual pra igual com você. Por isso as empresas descobriram que pra vencer essa dura batalha ela precisa de "Inovação". Inovação vem de Criatividade. Criatividade não é ensinado nas escolas, sinto muito. Nada melhor do que ensinar criatividade com aulas de pintura.

Canto - Além dos benefícios em questão de qualidades e desenvolvimento, cantar faz muito bem a saúde dos alunos. Se você canta desde pequeno, provavalmente você não deve fumar nem beber. Sabia disso? Além disso a formação de coral estimula o trabalho em equipe. Num coral ninguém é estrela ou personagem principal. As vozes se completam. O resultado só é positivo se é em conjunto. Muitos alunos têm uma talento invejável para a música. Mas hoje em dia a lei número um das escolas é: Faça silêncio! Depois querem reclamar do nível das músicas que estão surgindo por aí... Vamos incentivar quem é cantor, desde pequeno!

Educação Física - 3 aulas de Educação Física por semana! Isso faz com que ela seja uma das duas matérias mais importantes a ser ensinado no ensino fundamental e médio. Movimente-se! Trabalhe seu corpo! Hoje vemos que cada vez mais a matéria de Educação Física está perdendo espaço para outras onde o aluno tem que ficar parado a aula toda. Pouca gente dá valor pra Educação Física. Acham que só tem que trabalhar a cabeça das crianças. E mais pra frente só um lado dela. Já percebeu? Depois que saímos da escola, e entramos na faculdade, somos induzidos a "especializar". Ou seja, escolha seu lado preferido do cérebro. Esquerdo ou direito? Agora vá se aprofundar. Vá se especializar! É isso que você ouve na faculdade. Não faça isso! Você já percebeu que eu não vou muito com a cara de alguns professores, mas os piores são os universitários. Eles se acham o máximo! Mas não são nada... Se acham o máximo porque faz parte de 0,1% da população nacional que fez doutorado ou mestrado. Se tirar um lado do cérebro deles, o que eles sabem fazer de bom? Nada! São completamente "descorporados". Assimétricos. Seu corpo só serve pra carregar a cabeça, pra mais nada. Então não siga esse caminho. Faça muito esporte e desenvolva habilidades com seu corpo por completo.

Dinheiro - A última matéria que eu deixei pra detalhar é pra mim a mais importante de todas. Sem muito enfeite, o nome dela seria "Dinheiro". Isso mesmo. "Qual é a aula de amanhã Juquinha?" "Amanhã temos aula de Dinheiro."
Você já deve ter visto muito isso na vida. Advogados, Engenheiros, Professores, Administradores, Enfermeiros... tudo endividado. Oras, mas eles não são formados? Não fazem parte da fatia de 3% dos diplomados no Brasil? Acontece que esqueceram de ensinar uma coisinha muito importante nas escolas...
Não adianta de nada tudo o que falei acima se você não souber lidar com dinheiro. Não adianta nada você ter a melhor escola, se desenvolver por completo, fazer tudo certinho, conseguir o melhor emprego, se você não souber algumas regrinhas básicas sobre dinheiro, que por mais incrível que pareça, muita gente não sabe. Alguém na escola já te falou algo sobre "Poupar e Investir"? Ou então sobre "Gaste menos do que você ganha"? Nunca me falaram isso... ainda bem que eu aprendi sozinho. E por mais doído que pareça é a verdade: se você não for curioso como eu fui e não for um pouco auto-didata, você terá sérios problemas financeiros no futuro. Ninguém na escola sabe o que é inflação, mas vive reclamando sobre os aumentos dos preços. Ninguém sabe que a mesada que ganha do pai pode te fazer aposentar rico ainda jovem. O mundo real ensina apenas duas coisas: Gastar e parcelar. Até os professores são assim, gastam mais do que ganham, então como posso cobrar deles que ensine o contrário? Infelizmente isso afeta milhões de brasileiros... Cerca de 95% da população não faz planejamento financeiro e não sabe lidar com dinheiro. Mesmo ganhando horrores, irá gastar horrores. A riqueza não é medida de acordo com o que você ganha, mas sim o quanto você acumula e multiplica. Robert Kyosaki já dizia: "Ricos compram ativos e pobres passivos, pensando que são ativos... se você quiser ser rico, compre ativos, essa é a única regra do jogo". Agora me diga qual escola ensina pras crianças a diferença de ativo e passivo? E olha que não tem nada de complicado nisso. Como já disse, mesmo se fosse complicado, tudo pode ser simplificado. Não canso de dizer que boa formação e boas notas não garantem o sucesso de ninguém.
O mundo mudou. A maioria dos jovens têm cartão de crédito, antes mesmo de concluir os estudos, e nunca tiveram aula de dinheiro, investimentos, juros, etc. São "Analfabetos financeiros", despreparados pra enfrentar o agressivo mundo das despesas. Infelizmente hoje, antes dessa mudança que eu proponho, fica na mão dos pais ensinar o que a escola não ensina aos filhos.


A escola do meu sonho é mais ou menos o que eu descrevi acima. Gostaria muito que essas mudanças acontecessem. Acredito muito na educação. Amo estudar e sei que o estudo é fundamental na vida de qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo. Acontece que não podemos mais achar que o que se ensinava na escola a 200 anos atrás tem que ser ensinado hoje. Ninguém tem bola de cristal, mas uma coisa é certa: o mundo está mudando muito rápido e pra não ser atropelado e fazer com que o futuro do nosso país, as crianças, administrem bem esse futuro, que talvez nem chegamos a ver, temos duas escolhas: a da segurança, ou seja, continuar do jeito que está, ou a da inteligência.

E fica o recado pessoal: Se você é aluno, faça algo! Não espere a escola mudar não. Aliás, nem dê muito valor a ela. Hoje o mercado de trabalho está cada vez mais difícil mas não é por culpa das empresas não. É por culpa do sistema de ensino que não prepara as pessoas para a inovação.
Existem empregos ótimos sim te esperando. Acontece que já existem alguns jovens e adolescentes se preparando paralelamente à escola.
Infelizmente esse mundo certo e próspero é pra muita pouca gente. A tragédia toda é que a maioria das pessoas que estão desempregadas hoje tem um perfil de aluno que se satisfaz com o pouco que a escola o desenvolve.

O dilema é que não devemos mais pensar em colocar as nossas crianças na escola, pois todas já estão. Devemos trazer de volta os adultos pra escola. Mas antes disso, devemos mudar a escola pois a mesma escola que o adulto hoje se formou lá atrás, é a escola que ele irá voltar. Isso não pode acontecer.

Lembre-se então: O desafio do futuro é a capacidade inovadora!
E tente responder: Onde está isso nas escolas? Onde está as bases do empreendedorismo nas escolas? A escola está ensinando as crianças a gostarem de correr riscos? Pra perceber oportunidades? Pra amar trabalhar? Qual talento a escola está desenvolvendo em você?

Ela te desenvolve talentos como: comunicador, adaptável, carismático? Se ela desenvolvesse isso, tenho certeza que você terá trilhões de profissões à sua frente.

Gostaria de me aprofundar mais e mais nesse assunto, mas por enquanto vou continuar a sonhar mais. Eu posso sonhar... não é mesmo?

Categories:

5 Responses so far.

  1. Anônimo says:

    não acredito que tu perdeu tempo escrevendo isso, muito mais ainda, que eu perdi meu tempo lendo.

  2. Obrigado pela visita, volte sempre!

  3. Anônimo says:

    Cara vc é show!! Adorei passar aqui e ficar quase duas horas lendo, mas eu tiro o chapéu pra todas as idéias que teve. Parabéns. Com todas essas idéias vc deveria era montar uma escola.

  4. xebezizz says:

    I’ve been into blogging for quite some time and this is definitely a great post.Cheers!

    online pharmacy

  5. Sandra says:

    Você descreveu a Escola dos seus sonhos em acordo com o que vivenciou no seu período de estudos em uma Escola Publica. A sua seria uma escola alternativa para desenvolver talentos, como já existem por aí com acesso restrito a pessoas de alta renda. Precisaríamos mexer um pouco na grade curricular. Português é fundamental, desnecessário justificar. História é necessário, pois conhecendo o passado compreendemos o nosso presente e planejamos o nosso futuro sem cometer os mesmos erros. Filosofia desde o primeiro ano, pois faz-se urgente aprender a pensar. E Boletim pra quê?!? Cada um aprenderá o que seu talento indicar, e as notas serão dadas pelo mercado de trabalho e pela 'cara de felicidade' do indivíduo educado sem pressão... Apenas pequenos ajustes, e pode montar a sua ESCOLA DOS SONHOS, que ainda será modelo copiado pelo Ministério da Educação, e todas as crianças terão acesso aos seus Sonhos... Ah, e a parte burocrática como horário, grade, calendário, contratação, registros, deixa comigo, pois serei a profissional voluntária... Falemos pessoalmente... NUNCA DESISTA DE SEUS SONHOS, ELES QUE FAZEM A VIDA VALER A PENA!!!

Se você leu o texto e gostou, deixe um comentário!!!